PT quer suspender prescrição de multas ambientais

Objetivo do partido é 'estancar' os efeitos das políticas adotadas pelo presidente Jair Bolsonaro (PL)
-Publicidade-
Lula pretende mudar a política ambiental do Brasil
Lula pretende mudar a política ambiental do Brasil | Foto: Reprodução/Ricardo Stuckert

A equipe técnica de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) trabalha com uma lista de prioridades na área ambiental, a fim de “estancar” os efeitos das políticas adotadas recentemente pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Um dos objetivos é suspender parte das regras de multas ambientais, para evitar a prescrição de milhares de infrações cometidas em todo o país.

Além disso, o PT quer suspender o efeito de decretos e portarias emitidos tanto pelos ex-ministros do Meio Ambiente Ricardo Salles e Joaquim Leite quanto pelo presidente do Ibama, Eduardo Bim.

A equipe também quer revisar o programa Adote um Parque, lançado por Salles, como forma de retirar unidades de conservação ambiental das mãos do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade. A intenção é repassá-las para a iniciativa privada.

-Publicidade-

O grupo ambiental também tem se dedicado a relatórios ambientais enviados pelo Tribunal de Contas da União e que avaliam problemas graves do setor, como o suposto desmonte da estrutura de comando do Conselho Nacional do Meio Ambiente.

Outro objetivo da equipe de transição é o Serviço Florestal Brasileiro (SFB), órgão responsável pela gestão das florestas públicas federais e que deixou de ser subordinado ao Ministério do Meio Ambiente. Ele foi repassado para o Ministério da Agricultura.

O PT quer que o SFB volte para o Meio Ambiente. A equipe da Agricultura concorda em renunciar ao órgão, mas quer, em troca, que o Cadastro Ambiental Rural, principal banco de dados fundiário do país, permaneça sob o Ministério da Agricultura.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

4 comentários Ver comentários

  1. A personalidade egocêntrica e megalomaníaca do Sr Lula da Silva explica seu cabotinismo, sempre buscando exaltar as qualidades ou feitos duvidosos/inexistentes da gestão petista. A tentativa de desconstruir a política ambiental de Bolsonaro quer dar a impressão que nos governos Lula e Dilma o aparato estatal era eficientíssimo no combate às queimadas, por exemplo, ignorando também as altas taxas de desmatamento. A ironia será apostar na suspensão da prescrição das multas, justamente o instituto jurídico que fulminou o reinício dos seus processos criminais no DF, após o STF fazer mágica e anular suas condenações na Lava Jato.

  2. Realmente não pensam no Brasil. Só em massacrar o antecessor e todas as boas obras. Tem que sobrar mais de 200 bi. Eles precisam de mais de 1 tri para satisfazer todos os egos e compadrios….

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.