-Publicidade-

Tereza Cristina afirma que o Brasil é alvo de difamação

Ao defender o agronegócio, ministra da Agricultura disse que há uma campanha contra a imagem do país na questão ambiental
No pós-pandemia, a ministra acredita que o Brasil vai ter um papel preponderante no que diz respeito à segurança alimentar
No pós-pandemia, a ministra acredita que o Brasil vai ter um papel preponderante no que diz respeito à segurança alimentar | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina (DEM-MS), afirmou nesta quinta-feira, 4, que o Brasil é alvo de uma campanha difamatória. A declaração foi dada em resposta ao jornalista Rodrigo Constantino, que a interpelou no programa Opinião no ar, da Rede TV!, sobre a existência de um movimento dedicado a prejudicar a imagem do país, internacionalmente, em pautas ambientais. Na quarta-feira 3, o presidente Joe Biden recebeu um documento assinado por acadêmicos e ambientalistas sugerindo boicote às negociações entre os EUA e o Brasil devido ao “desmatamento”.

“Acho que existe uma campanha difamatória, com outros interesses; também há o lado ideológico e o lado comercial. A Europa pensa muito no próprio umbigo, no seu produtor. Ela dá subsídios altíssimos para se produzir lá”, disse a ministra. “O interesse comercial é legítimo e cada país tem de defendê-lo. Mas existe, sim, uma campanha difamatória. Não de todos [os países]. Eu não diria nem de governos”, acrescentou. Para Tereza Cristina, haverá um momento em que os EUA e o Brasil, por exemplo, vão dialogar, apesar das diferenças entre os dois governos. “Temos interesses comuns. E a agricultura é muito importante para os EUA”, observou.

Tereza Cristina ressaltou, ainda, a importância do agronegócio brasileiro, salientou que a prática tem de andar de mãos dadas com a sustentabilidade e reforçou a urgência de se aprovar a regularização fundiária (que concede a titularidade da terra a agricultores). Além disso, ela acredita que, no cenário pós-coronavírus, o Brasil vai ter um papel preponderante no que diz respeito à segurança alimentar. Para a ministra, o mundo reconheceu a importância de se produzir e de ter parceiros comerciais favoráveis, sobretudo em razão do surto de covid-19. “Nosso país demonstrou isso. Com o tempo, as coisas vão se acomodar”, garantiu.

Leia também: “O novo mapa do agro brasileiro”, matéria publicada na edição 41 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. e o pior que a maioria desses ataques ao brasil sai daqui mesmo por parte da esquerda que nao aceitou ainda a derrota acachapante e sabe que vai perder de novo por isso esses ataques insanos contra nosso pais.

  2. Quero ver a grande mídia tradicional criticar a ministra Tereza Cristina como faz com Ricardo Salles e Ernesto Araújo quando fazem comentários semelhantes. Não quero aqui igualar qualidades profissionais dos ministros mas todos foram nomeados por Bolsonaro e condenam a desinformação que ilustres celebridades nacionais tucanas (já fui) e assemelhados infestam no exterior.

  3. Crime lesa-pátria, capitaneado por Dória e seus asseclas de plantão, como vimos nesta semana, num inglês ridículo, demonstrando que o analfabeto funcional apenas é um jornalista de esquerda.
    FHC já tá aprontando o Luciano Hulk, mas também passará longe.
    Tentem o Paulo Preto seus crápulas sociais-democratas impatrióticos!!!
    Não gostam daquí, desta classe média que lhes sustenta “o por fora”, vai morar em Paris com Anne Hidalgo…!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês