Vice em 2022 pode ser ‘general de quatro estrelas’, diz Bolsonaro

Presidente admitiu que pode convidar um representante do Nordeste ou de Minas Gerais para ocupar o posto no ano que vem
-Publicidade-
Jair Bolsonaro ainda não definiu quem será o candidato a vice em sua chapa à reeleição em 2022
Jair Bolsonaro ainda não definiu quem será o candidato a vice em sua chapa à reeleição em 2022 | Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Jair Bolsonaro voltou a falar sobre a busca por um candidato a vice-presidente em sua possível chapa à reeleição em 2022. Em entrevista ao programa Hora do Strike, da Gazeta do Povo, o chefe do Executivo admitiu que pode convidar um representante do Nordeste ou de Minas Gerais para ocupar o posto no ano que vem.

Ainda segundo Bolsonaro, seu vice pode também ser um militar, repetindo a estratégia adotada nas eleições de 2018, com o general Hamilton Mourão, atual vice-presidente da República.

Bolsonaro já admitiu publicamente que dificilmente a chapa vitoriosa nas eleições de 2018 se repetirá em 2022. Mourão é cogitado como possível candidato a governador do Rio de Janeiro ou a senador pelo Rio Grande do Sul.

-Publicidade-

“A gente não está pensando em ter uma chapa para ganhar eleição e depois não poder governar”, afirmou o presidente. “Isso é horrível, é péssimo, ter um vice que atrapalha. Então, um vice que estamos trabalhando pode ser um general de quatro estrelas também”, completou.

De acordo com Bolsonaro, a escolha por um nome deve ser sacramentada no início do ano que vem. “Vai acontecer em março, talvez um pouco depois a gente anuncia o nome dele. Um nome que agregue e dê respeitabilidade à nossa chapa”, disse.

No início da semana, Bolsonaro se irritou ao comentar notícias que especulavam o nome do general Braga Netto, ministro da Defesa, como possível candidato a vice no ano que vem.

Críticas ao STF

Em outro trecho da entrevista, Bolsonaro rechaça a tese de que “o presidente pode tudo”. “A gente vive bastante limitado. Eu acho que, no mundo todo, um dos presidentes que menos podem sou eu”, brincou.

O presidente da República voltou a fazer críticas ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

“É um abuso. Ele está no quintal de casa, será que ele vai entrar? Será que vai ter coragem de entrar? Não é um desafio para ele, quem está avançando é ele, não sou eu”, afirmou Bolsonaro, referindo-se a inquéritos dos quais é alvo e que foram instaurados pelo magistrado na Corte.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

7 comentários Ver comentários

  1. Eu não acredito Augusto, que Bolsonaro iria na Feira, pode ser a de Santana, comprar um “melancia”.
    Temos sim nas FFAA gente agradecida por “escolhas” intencionais, como ocorreu no STF.
    O desaparelhamento é iminente, não desacredite!!!
    Se vc não acredita em mais nada, ficou sozinho. Hoje cem milhões de brasileiros estão esperando o segundo tempo, que começará em 2.023, na certeza de que o próximo 22, teremos q estar unidos como estivemos desde 2.013, qdo iniciamos o desmanche do conluio entre os 3 poderes.
    Votemos com atenção em senadores qualificados. Esta renovação será a cereja do bolo. Só assim afetamos o puteiro que hoje se tornou aquela representação maligna da bandidagem, dos derrotados, dos inequívocos retardadores da ordem e progresso.

  2. Fernando e Alberto tratando do nosso futuro em alto nível.
    O staff governamental espera uma resposta do Zema por duas razões: a óbvia está relacionada sim à certeza da “correção” do homem que resgatou a dignidade dos mineiros, já em ascensão desde a confirmação ao mundo de q não foi golpe a eliminação de dilmanta . A outra é pq tudo, de novo, passará por Minas Gerais.
    Mas particularmente, mesmo sendo de MG, espero que seja um militar o vice, novamente, e sendo do NE, é tudo o q precisamos p escorraçar esses comunistas safados q nada fizeram p povo nos últimos 200 anos

  3. Não sou bolsominion de carteirinha, cá entre nós nem fã de milico; defendo Bolsonaro pela agenda anti corrupção, pela postura honesta e democrática (quando um presidente apareceu toda a semana numa live dando contas do seu governo?); mas está bem na hora dele entender que seu eleitorado não é só de milicos e evangélicos.

    1. Não é bem isso, é que, ele encontra mais confiança e lealdade segundo a fala dele no meio em que ele foi formado e viveu por anos, no caso a caserna, no meio militar. Tanto que em alguns pontos e núcleos estratégicos ele colocou militares e não civis. A questão da confiança dele num irmão de farda escolhido por ele para ser seu vice desde que seja qualificado, honesto, sério e leal a ele é nada mais que justo e correto. O vice atual Mourão até agora mostrou-se leal mas atrapalhou muito com suas entrevistas indo contra as falas do PR JB pois não pode ver pela frente um microfone ou uma câmera ligada aí abria a boca ia contra o pensamento do PR mas sem ser desleal ao ponto de pleitear um golpe para assumir a cadeira da PR. Portanto, em parte concordo com vc mas é bom que seja alguém que não sucumba as tentações dos conspiradores e golpistas de plantão que com absoluta certeza não faltam desde vagabundos da velha imprensa passando até pelos esquerdeopatas partidários, empresários e altos grupelhos poderosos internos e externos que miram nossas riquezas e que ver hoje no JB o maior obstáculo para realizarem com apoios das esquerdas tupiniquins seus intentos criminosos em nosso país. É isso

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.