-Publicidade-

Anvisa conclui análise de dados já entregues pela AstraZeneca

Ministério da Saúde deve receber primeira leva de imunizantes em 8 de fevereiro
Caso a fabricante queira entregar mais dados acerca do imunizante, será possível
Caso a fabricante queira entregar mais dados acerca do imunizante, será possível | Foto: Cadu Rolim/Estadão Conteúdo

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) concluiu a verificação dos documentos já apresentados pela farmacêutica AstraZeneca. A companhia britânica financia o imunizante experimental contra a covid-19 desenvolvido pela Universidade de Oxford. “A análise referente às fases 1, 2 e 3, bem como avaliação de qualidade, estão com o status concluído”, informou a Anvisa, na sexta-feira 1°. Em síntese, o laboratório está “em dia” com a papelada necessária para que a vacina obtenha certificação no Brasil.

Contudo, caso a fabricante queira entregar mais dados, será possível. Na quarta-feira 30, a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade, comunicou que a entrega final de todos os documentos para registro da vacina será feita até 15 de janeiro, conforme noticiou Oeste. A Fiocruz prevê entregar a primeira leva das vacinas ao Ministério da Saúde a partir de 8 de fevereiro. O Programa Nacional de Imunização receberá 1 milhão de doses de 8 a 12 de fevereiro e mais um milhão na semana seguinte.

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

7 comentários

  1. Prioridade total aos políticos e ao STF.
    VaChina neles! Ângelo coronel e Lewan na 1a fila!
    O que um ministro supremo pútrido como esse pensa que é? O militante tem o lugar no inferno garantido ao lado de lula e zé dirceu….., seres DIMINUTOS, pequenos!

  2. É muito estranho as recentes manchetes dos principais meios de comunicação especialmente anti Bolsonaro, informarem que 40 a 50 países já começaram a vacinação contra a COVID e o Brasil ainda não, sem sequer observar o tamanho de nosso pais e que nenhum produtor ainda apresentou as análises e pedidos para vacinação sequer emergencial. Entendo que a vacinação terá que abranger todo o território nacional no mesmo momento inicial com vacinação emergencial para todas as camadas sociais, estabelecidas as prioridades indicadas pela tal ciência.
    Como aplicar aquela vacina do Doria para todos os “brasileiros”, se sequer foi aprovada na China e ainda não solicitada sua aprovação emergencial à Anvisa, e que já adiou 3 vezes a divulgação de sua eficácia? Ou, seguindo as ordens do STF, o governador de São Paulo vai ter coragem de iniciar a vacinação sem qualquer aprovação mundial e local e de desconhecida eficácia? Infelizmente a imprensa do ódio, esquece que a União já tem acordo de longa data com a vacina de Oxford/Astra Zenica/Fiocruz, que, esta sim já foi aprovada no Reino Unido. É próprio de gente sem caráter usar a pandemia para tentar derrubar um governo. Preocupa-nos portanto que, com esse tipo de imprensa, políticos e judiciário do ódio que temos, qual segurança poderemos esperar das urnas eletrônicas em 2022 sem o VOTO IMPRESSO?.

    1. A CNN estava informando que determinado país estava iniciando a vacinação. A legenda, logo abaixo, dizia que o Brasil não tinha uma data de vacinação. Ora, como poderia ter, se nem vacina aprovada tem? Desinformação e desonestidade jornalística!

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês