Butantan rebate Ministério da Saúde e nega ter descumprido contrato

'O próprio site da pasta mostra que o total do contrato já foi entregue', alega o instituto paulista
-Publicidade-
Instituto Butantan, em São Paulo, se envolve em novo embate com o Ministério da Saúde
Instituto Butantan, em São Paulo, se envolve em novo embate com o Ministério da Saúde | Foto: Alf Ribeiro / Shutterstock.com

Depois de ter recebido uma notificação do Ministério da Saúde a respeito do possível descumprimento do contrato firmado com a pasta para a venda de doses da CoronaVac, o Instituto Butantan negou nesta quinta-feira, 23, que tenha violado qualquer regra do acordo.

Como Oeste informou ontem, o governo de São Paulo oficializou o início da entrega de 2,5 milhões de doses da CoronaVac diretamente para cinco Estados do país: Pará, Espírito Santo, Mato Grosso, Ceará e Piauí. As remessas devem começar a ser encaminhadas na segunda-feira 27.

Leia mais: “Doria reúne governadores e inicia entrega da CoronaVac para cinco Estados”

-Publicidade-

Trata-se de uma aquisição direta feita pelos Estados junto ao governo paulista, sem intermediação do Ministério da Saúde. O Butantan alega já ter finalizado a entrega de 100 milhões de doses do imunizante para o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do governo federal. Segundo a Saúde, no entanto, a venda das doses aos cinco Estados foi feita antes da conclusão do contrato.

Em nota, o Butantan afirma que o acordo com o governo federal foi concluído no dia 15 de setembro e que “o próprio site da pasta mostra que o total do contrato de 100 milhões de doses já foi entregue”.

Leia também: “Butantan pode ser multado em R$ 30 milhões por quebra de contrato, informa Ministério da Saúde”

“O Ministério da Saúde não cumpre a sua obrigação de adquirir vacinas. A pasta não tem o direito de impedir que os Estados e municípios ajam com celeridade para proteger as suas populações”, diz o instituto.

“O governo federal optou por não assinar um contrato adicional para 30 milhões de doses e dá, constantemente, declarações negacionistas para contestar a CoronaVac e desmerecer a importância da vacinação”, completa o Butantan no comunicado.

Leia também: “Anvisa determina recolhimento de lotes suspensos da CoronaVac”

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

6 comentários Ver comentários

  1. Vergonhoso… para um bando de criancinhas mimadas. “Foi você” – “Não, foi você” – Tudo isso com nosso dinheiro, parabéns bando incompetentes patéticos.

  2. O Instituto Butantã, com credibilidade mundial, hoje nas mãos do ditadoria e seu diretor,
    cumprindo ordens do embaixador da China, manipulações, politicagem suja, tornou a
    Instituição indigna de confiabilidade nos processos de vacinas.

  3. Butantã, acessório do mentiroso do Dória , que conseguiu junto com esse Dimas Covas jogar a credibilidade do Instituto centenário no LIXO. Só está se aproveitando da ausência do Ministro para vomitar suas mentiras.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.