Vacina da Pfizer: Farmacêutica anuncia 95% de eficácia

Testes envolveram pessoas com mais de 65 anos
-Publicidade-
Johnson & Johnson será a quarta a testar vacina contra a covid-19 no Brasil | Foto: Bao_5/Pixabay
Johnson & Johnson será a quarta a testar vacina contra a covid-19 no Brasil | Foto: Bao_5/Pixabay | Johnson & Johnson, vacina, testes, anvisa

Testes envolveram pessoas com mais de 65 anos

Johnson & Johnson, vacina, testes, anvisa
Companhia informou que pretende entrar com o pedido de uso emergencial de sua vacina “em poucos dias”
Foto: Bao5/Pixabay
-Publicidade-

A farmacêutica Pfizer anunciou nesta quarta-feira, 18, a conclusão dos testes da fase 3 da vacina experimental contra a covid-19. Conforme a empresa, os resultados mostraram que a eficácia do produto é de 95% na prevenção da doença provocada pelo vírus chinês. Além disso, não houve efeitos colaterais graves. Contudo, os dados ainda precisam ser publicados em revista científica. De acordo com um comunicado da Pfizer, os estudos da vacina analisaram 170 casos confirmados de coronavírus.

Os testes também envolveram pessoas com mais de 65 anos e, nessa faixa etária, a vacina se mostrou mais de 94% eficaz. A taxa de eficácia representa a proporção de redução de casos entre o grupo vacinado e o não vacinado. A farmacêutica destacou que todos os protocolos de segurança exigidos pela Food and Drug Administration (a “Anvisa dos EUA”) foram cumpridos. Dessa forma, a Pfizer informou que pretende entrar com o pedido de uso emergencial de sua vacina “em poucos dias”, sem especificar uma data.

Leia também: “UE vai comprar 300 milhões de doses da vacina da Pfizer”

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comments

  1. a Anita se mostrou com a mesma eficácia para cura e tratamento então não há necessidade de vacinar todos somente os vulneráveis e a meu ver ninguém deve tomar vacina se tem tratamento com a mesma eficácia da vacina é gasto desnecessário

  2. minha pergunta é : uma vacina que não tem nem seis meses de testada, embora sua eficacia seja de 95% , tem segurança a longo prazo uma vez injetada o organismo humano? já é possível precisar seu desempenho imunológico em um prazo tão pequeno de testes?

    1. No médio e longo prazos ninguém sabe quais os efeitos colaterais que essas vacinas feitas com novas tecnologias podem ter.
      Câncer de pâncreas, leucemia e Alzheimer estão entre esses possíveis efeitos

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site