‘Eu vetaria’, diz Mourão sobre ‘fundão’ eleitoral

Vice-presidente afirmou que valor de R$ 5,7 bilhões destinado aos partidos políticos é 'exagerado'
-Publicidade-
O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu o veto de Jair Bolsonaro ao aumento do 'fundão'
O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu o veto de Jair Bolsonaro ao aumento do 'fundão' | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O vice-presidente Hamilton Mourão criticou nesta segunda-feira, 19, o aumento do valor destinado aos partidos políticos nas eleições do ano que vem — o chamado “fundão” eleitoral, que chegará a R$ 5,7 bilhões, de acordo com o texto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) aprovado pela Comissão Mista de Orçamento (CMO).

Indagado sobre o valor do fundo, o general indicou que, se estivesse no lugar do presidente Jair Bolsonaro, vetaria o aumento.

Leia mais: “Verba destinada ao ‘fundão’ é superior à investida em saneamento básico nos últimos 6 anos”

-Publicidade-

“Acho que é um valor exagerado, principalmente quando nós tivemos há pouco uma situação difícil no governo para conseguir fazer um rescaldo de R$ 1 bilhão para que as obras não parassem. Você tem aí uma gordura de uns R$ 3 bilhões tranquilamente, que poderia ser melhor empregada”, disse Mourão ao chegar ao Palácio do Planalto nesta segunda-feira, 19.

Leia também: “Fundo eleitoral será de quase R$ 6 bilhões em 2022”

O general afirmou ainda que não conversou com Bolsonaro sobre o assunto e não sabe se o presidente vetará ou não o aumento do “fundão”. “Hoje você usa muito a rede social. O modelo de propaganda eleitoral, ou de você se fazer conhecido perante a população, mudou. Eu vetaria.”

Leia também: “‘É bom que sentem, conversem e baixem a bola’, diz Mourão sobre reunião entre Poderes”

Telegram
-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comentários

  1. O dinheiro dos cidadãos não pode ser repartido, sem o devido consentimento, por 33 presidentes de partidos políticos. O dinheiro pertence a 210 milhões de brasileiros. Nem um tostão pode ser tirado do Tesouro, que é o cofre dos cidadãos. Esta verba tem dono que, com certeza, não são os partidos políticos.

    1. Precisamos do recall político e teremos, nós, o povo, o poder de tirar todos os políticos corruptos que nos roubam em toque de caixa, na calada da noite, aprovando tudo que a eles beneficia.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site