Sob argumento de financiar a democracia, “fundos” dão margem a mau uso do dinheiro público

Os fundos Partidário e Eleitoral, criados sob o argumento de financiar a democracia, não poderiam ser usados para transferir dinheiro público para os bolsos dos políticos. Mas é o que acontece.

Como destaca J.R.Guzzo no jornal O Estado de S.Paulo desta quarta-feira, 15: “o dinheiro é usado em proveito pessoal e direto dos políticos, do jeito que bem entendem”.

Leia mais ‘Eu vetaria’, diz Mourão sobre ‘fundão’ eleitoral

loader