Nunes Marques vota contra suspeição de Moro em processos sobre Lula

Com isso, placar de julgamento na Segunda Turma do STF fica em 3 a 2 a favor de Moro; Cármen Lúcia ainda pode mudar seu voto
-Publicidade-
O ministro Kassio Nunes Marques votou contra a suspeição do ex-juiz Sergio Moro
O ministro Kassio Nunes Marques votou contra a suspeição do ex-juiz Sergio Moro | Foto: Felipe Sampaio/STF

O ministro Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal (STF), votou contra a suspeição do ex-juiz Sergio Moro nos processos que envolvem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na Lava Jato. A sessão da Segunda Turma da Corte foi retomada nesta terça-feira, 23. Com isso, o placar fica em 3 a 2 contra a suspeição do ex-juiz, mas a ministra Cármen Lúcia ainda pode rever o seu voto.

Leia mais: “Gilmar Mendes põe em pauta processo de suspeição de Moro”

-Publicidade-

Até o momento, Nunes Marques, Edson Fachin e Cármen Lúcia votaram contra o pedido de suspeição de Moro, e Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes foram favoráveis. O julgamento havia sido interrompido em 9 de março, após um pedido de vista de Nunes Marques.

O ministro citou uma frase usada pelo colega Gilmar Mendes — “crime não se combate com crime” — para condenar o uso de material obtido ilegalmente, por meio de hackers, nas acusações contra Moro. “Dois erros não fazem um acerto”, afirmou.

“No meu entendimento, todos esses fatos já foram objeto de análise em todas as instâncias do Poder Judiciário. É inviável a reanálise de três fundamentos nesta via eleita. Na hipótese de suspeição, é preciso provas”, disse Nunes Marques ao ler seu voto.

Caso Moro seja considerado suspeito pela maioria dos ministros da Segunda Turma, todas as provas colhidas no processo relacionado ao apartamento do Guarujá seriam anuladas. As investigações teriam de recomeçar do zero.

Leia também: “Farra na republiqueta”, reportagem publicada na Edição 51 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.