Empresas perdem R$ 284 bi em valor de mercado desde o anúncio do Auxílio Brasil

O risco fiscal e as recentes declarações do ministro da Economia sobre o teto de gastos também deixaram investidores apreensivos
-Publicidade-
A instabilidade durante a semana diante do risco fiscal  derrubou o principal índice brasileiro
A instabilidade durante a semana diante do risco fiscal derrubou o principal índice brasileiro | Foto: Divulgação/Flickr

A semana está terminando com o mercado financeiro repercutindo a situação das contas públicas brasileiras. A quinta-feira 22 foi marcada por uma forte turbulência na Bolsa de Valores, que seguiu na esteira dos riscos fiscais do país.

Em três dias, as empresas brasileiras perderam R$ 284 bilhões em valor de mercado, segundo um levantamento realizado pela provedora de informações financeiras Economatica.

Na segunda-feira 18, as ações das empresas listadas na Bolsa somavam quase R$ 5 trilhões. Na quinta-feira 21, passaram a valer R$ 4,7 trilhões.

-Publicidade-

Esse movimento é uma reação à situação fiscal do país. O ministro da Economia, Paulo Guedes, falou durante a semana em “licença” para furar o teto de gastos para financiar o valor de R$ 400 para o programa Auxílio Brasil.

As declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre o pagamento de uma “ajuda” aos caminhoneiros como compensação pelos reajustes recentes no preço do diesel também intensificaram o clima pesado nos mercados.

Segundo analistas, o mercado havia precificado várias reformas e uma melhora da inflação e da arrecadação no segundo semestre, mas nada disso ocorreu.

Na quinta-feira 22, o presidente Jair Bolsonaro disse que o mercado financeiro está “nervosinho” e poderá sair prejudicado caso “exploda a economia do Brasil”. Para o presidente, a inflação que o país enfrenta é “péssima”, mas evita o desabastecimento de outros insumos básicos, como a gasolina, o diesel e os alimentos.

“Temos como vencer essa crise. Vai ter novo aumento de combustível? Certamente teremos. Não vou negar isso daí. Estou buscando solução. […] Aí fica o mercado nervosinho. Se vocês explodirem a economia do Brasil, pessoal do mercado, vocês vão ser prejudicados também, afirmou em transmissão ao vivo nas redes sociais.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

8 comentários Ver comentários

  1. Como assim, perderam? Quem perdeu foi o investidor. Na época da eleição de 2018(novembro), a bolsa estava em 80.000 pontos. Antes da pandemia fou a 110.000 pontos. Chegou a 130.000 pontos. Óbvio que era uma bolha. As empresas nunca valeram aquilo tudo refletido. Agora, o mercado terá que arrumar algum culpado. O culpado da vez é o auxílio Brasil que precisará dd mais 30 bi. Qysndo o governo gastoy 600 bi fora do teto estava tudo bem para o mercado. Agora com 39 bi a mais não está bem. O STF manda o governo pagar todos os compulsórios desde 2000, tudo bem? Tem algo errado aí. Ou a bolsa não era para chegar a 130.000 ou não era só 80.000. Mas a XP não sabe. Kkkkk

    1. Roberto Fakil, a Bolsa de Valores no Brasil, nunca foi de captação de recursos para empresas, sempre foi e é apenas uma jogatina. Esse jornalistazinho de merda, esta apenas fazendo terrorismo, dizendo meias verdades, “Em três dias, as empresas brasileiras perderam R$ 284 bilhões em valor de mercado”, nos próximos três dias vão recuperar tudo de novo, só os idiotas de primeira viagem perdem. Como você disse a Bolsa chegou a 130 pontos, não vi nenhum jornalista informando quanto as empresas ganharam.

      1. É Silvestre, são jornalistas que copiam a coluna dd outro. Mas hoje no rádio, ouvindo a Jovem Pan, um comentarista falou que desejar a morte de Bolsonaro é democratico, mas um deputado desejar que um Ministro do STF leve uma surra é atentado contra a democracia. E ficou discutindo com um outro babaca que sógritava. Fiquei impressionado com isso. A imprensa perdeu a mão.

  2. Vejam só o procedimento desse cafajeste: ” Se vocês explodirem a economia do Brasil, pessoal do mercado, vocês vão ser prejudicados também”.
    É desse jeito, apronta suas cagadas e depois sai fora e culpa os outros. Pode haver um indivíduo mais canalha como esse? Pode, o Renan Canalheiros é um deles.

      1. Cara, você é apenas um idiota digno de pena. Vá chorar na privada, cumpanhêro.

  3. A economia a gente vê depois…
    Comparem a realidade brasileira com os outros países, exceto a China, que foi a única (coincidência) a lucrar com a pandemia do vírus chinês.

    1. Tudo é culpa do povo brasileiro, acreditou no Atila iamarino, calou se ao ouvir a Globo, usou td pra ficar em casa, quem morreu foi se, quem ficou vai viver um inferno e por cima disso, ainda tem as vacinas, quem sabe o que farão no organismo dos que não morreram dela.
      Enfim, fome não mata, COVID mata, então foda se, nunca vi ninguém assaltar outra pessoa porque tava com COVID.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.