Depois de cão ter contraído varíola dos macacos, OMS pede vigilância

Entidade orienta pessoas contaminadas a não manterem contato próximo com animais domésticos
-Publicidade-
Rosamund Lewis, diretora técnica da OMS para varíola dos macacos | Foto: Reprodução
Rosamund Lewis, diretora técnica da OMS para varíola dos macacos | Foto: Reprodução

A Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu nesta quarta-feira, 17, que as pessoas infectadas com a varíola dos macacos evitem contato com os animais, que são passíveis de ser contaminados. O pedido se deve à publicação na revista médica The Lancet do primeiro caso conhecido de infecção em um cão. Um casal gay que mora em Paris transmitiu a doença a um cão galgo.

“Este é o primeiro caso relatado de transmissão de humano para animal, e acreditamos que esta é a primeira vez que um cão foi infectado”, disse Rosamund Lewis, diretora técnica da OMS para varíola dos macacos.

Segundo ela, especialistas sabiam do risco teórico desse tipo de transmissão, e agências de saúde pública já alertavam as pessoas infectadas a ficarem longe de seus animais de estimação. Outra orientação é para que o lixo produzido por pessoas contaminadas seja descartado de forma correta, para reduzir o risco de contaminação de roedores e outros animais.

-Publicidade-

Autoridades de saúde também têm preocupação com mutações do vírus, ao passar para outras espécies. “É certo que, assim que o vírus se mover para outro ambiente afetando outra população, existe a possibilidade de que ele se desenvolva de maneira diferente e sofra uma mutação diferente”, disse Rosamund. No entanto, ainda não há prognóstico acerca da gravidade de eventual mutação.

A principal preocupação, no entanto, é com os animais que vivem fora de casa, segundo o diretor de emergência da OMS, Michael Ryan. “A situação mais perigosa ocorre quando um vírus se move através de uma pequena população de mamíferos com alta densidade de animais”, afirmou, acrescentando que há pouco para se preocupar com animais de estimação. “Não acho que o vírus evolua mais rápido com um único cachorro do que com uma única pessoa.”

De acordo com o último relatório da OMS, 31,6 mil casos de varíola dos macacos, incluindo 12 mortes, foram registrados em todo o mundo. Em 24 de julho, a OMS declarou emergência de saúde pública de interesse internacional. No Brasil, até agora são 3,1 mil casos e uma morte.

A varíola dos macacos é uma doença que tem cura e de pouca gravidade, quando tratada precocemente.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

5 comentários Ver comentários

  1. Transmissão igual a AIDS! Relação SEXUAL e promiscuidade com animais??? Pergunta a OMS. Até quando vão esconder como se transmite e os grupos de risco??? Já tivemos o exemplo pelo Médico dos RUA que escondeu do mundo. Wue por a caso é o nsxmo da COVID.Quem era ANTONY FSUCVI

  2. “Contato próximo” = bestialismo daquele casal de gays contra o pobre cachorro, confirmado por lesões anais neste último.

    Acordem e deixem o eufemismo de lado, Oeste!

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.