-Publicidade-

CoronaVac: Anvisa fala em proteger pessoas

Agência suspendeu testes com o projeto de imunizante
Antonio Barra Torres, presidente da Anvisa | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Antonio Barra Torres, presidente da Anvisa | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil | antonio barra torres - anvisa - proteger pessoas da coronavac

Agência suspendeu testes com o projeto de imunizante

antonio barra torres - anvisa - proteger pessoas da coronavac
Antônio Barra Torres é a principal autoridade da Anvisa; suspensão da CoronaVac visa a proteger os brasileiros | Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Além de explicar que respeitou protocolos científicos e quais devem ser os próximos passos a ser seguidos pelo Instituto Butantan em relação à CoronaVac, o diretor-presidente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Antônio Barra Torres, revelou na tarde desta terça-feira, 10, o principal motivo que o levou a suspender os testes do projeto de imunizante contra a covid-19 no Brasil. Ele destacou que a medida se fez necessária para preservar vidas.

Leia mais: “Diretor do Instituto Butantan sai em defesa da CoronaVac”

Durante coletiva de imprensa realizada em Brasília, Barra Torres destacou, inclusive, que a suspensão dos estudos clínicos visa ao bem-estar de todos os brasileiros, dos colaboradores da própria Anvisa a jornalistas — que chegaram a questionar se a decisão do órgão havia sido tomada a partir de questões políticas. “A decisão tomada ontem foi para proteger, entre outras pessoas, os senhores e as senhoras [da imprensa] e nós [da Anvisa] também”, afirmou. Para ele, prosseguir com a testagem seria “total irresponsabilidade”.

O diretor-presidente da Anvisa explicou que, nesse sentido, o problema teria sido continuar normalmente com os testes mesmo após o comunicado de que a vacina havia provocado “evento adverso grave”. Na noite de ontem, parte da imprensa avisou que um voluntário da CoronaVac havia morrido. Na manhã desta terça, a TV Cultura, emissora pública mantida por fundação do governo do Estado de São Paulo, garantiu que a morte não teria relação direta com o imunizante, pois o caso fora de suicídio.

  • Mais sobre a CoronaVac:

“A verdade sobre a CoronaVac”
“Covid-19: Obrigatoriedade ou não da vacina? Entenda”

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

2 comentários

  1. Então, se a TV Cultura informou que a morte não teria relação direta com o imunizante, e o “instituto Doria/Butantã/secretário da saúde” se responsabilizam pela segurança da vacina, para que serve a Anvisa?
    Esse marqueteiro Dória (que loucura, votei nele), entende que a vacina dele é a única saída para o povo brasileiro, e despreza outras importantes vacinas, em semelhante fase de testes e com excelentes qualificação e eficácia, que o governo federal também faz investimentos. Curiosamente, brincam com a saúde do povo, unicamente para derrubar o governo Bolsonaro. E a mídia obsoleta e decadente aplaude.
    Inacreditavelmente Dória com sua vacina, conquista apoio de governadores e senadores da extrema esquerda que ele tanto condenou em campanha BOLSODÓRIA.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês