-Publicidade-

O mistério das 100 mil mortes por covid-19 no Brasil

"Quantos realmente morreram em razão da doença provocada pelo coronavírus?", interpela o colunista de Oeste Guilherme Fiúza
Corpo é sepultado no cemitério da Vila Formosa, na capital paulista | Foto: ROBSON ROCHA/ESTADÃO CONTEÚDO
Corpo é sepultado no cemitério da Vila Formosa, na capital paulista | Foto: ROBSON ROCHA/ESTADÃO CONTEÚDO | Corpo é sepultado no cemitério da Vila Formosa, na capital paulista | Foto: ROBSON ROCHA/ESTADÃO CONTEÚDO

“Quantos realmente morreram em razão da doença provocada pelo coronavírus?”, interpela o colunista de Oeste Guilherme Fiúza

o mistério
Corpo é sepultado no cemitério da Vila Formosa, na capital paulista | Foto: ROBSON ROCHA/ESTADÃO CONTEÚDO

A marca de 100 mil mortes atribuídas ao vírus chinês trouxe um símbolo forte para o drama que vive o Brasil. Além disso, acirrou as discussões sobre as responsabilidades no enfrentamento à pandemia. Contudo, não desfez mistérios que cercam essa epidemia, sobretudo a queda brusca do registro de óbitos por outras doenças, como, por exemplo, a pneumonia, infarto, AVC, insuficiência respiratória e septicemia. É desse tema que trata o colunista de Oeste Guilherme Fiúza no vídeo abaixo. Confira:

https://www.instagram.com/tv/CD7inTAhrTU/?igshid=74ojg4v8gj10

Leia o artigo completo do colunista Guilherme Fiúza sobre o assunto publicado na edição n° 21 de Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

Envie um comentário

-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.
R$ 19,90 por mês