OMS retomará testes com hidroxicloroquina

Entidade suspendeu pesquisas na semana passada, após revista Lancet publicar artigo — agora em auditoria — contra a substância.
-Publicidade-
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus: volta aos testes com a hidroxicloroquina após falha no artigo da <i>Lancet</i>
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus: volta aos testes com a hidroxicloroquina após falha no artigo da Lancet | oms - testes - hidroxicloroquina

Entidade suspendeu pesquisas na semana passada, após revista Lancet publicar artigo — agora em auditoria — contra a substância

oms - testes - hidroxicloroquina
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus: volta aos testes com a hidroxicloroquina após falha no artigo da Lancet
-Publicidade-

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que vai retomar os testes com a hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com covid-19.

A entidade havia suspendido a substância do projeto Solidariedade, que avalia medicamentos contra o coronavírus, após a revista The Lancet publicar artigo no dia 22 de maio dizendo que o medicamento causava arritmias cardíacas e podia causar a morte de pacientes. Nesta terça-feira, porém, o estudo publicado foi colocado sob auditoria.

De acordo com dados recolhidos pela própria OMS, o medicamento não traz riscos evidentes. Mais de 3,5 mil pacientes de coronavírus de 35 países já fazem parte de testes de eficácia de possíveis remédios para a doença.

“Com base nos dados de mortalidade disponíveis, os membros do comitê afirmaram que não há motivos para modificar o protocolo dos testes com hidroxicloroquina”, afirmou o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. “O Grupo Executivo endossou a continuidade e vai comunicar a decisão aos principais pesquisadores do Solidariedade. O comitê continuará monitorando de perto a segurança de todos os tratamentos testados no ensaio clínico”.

Além da hidroxicloroquina, outras três drogas são analisadas pelo projeto da OMS: o remdesivir, o lopinavir/ritonavir e o interferon beta-1a.

O sucesso da utilização da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19 na rede particular e nos planos de saúde fez com que no fim de maio, o Ministério da Saúde aprovasse protocolo que incluiu a medicação entre os que são utilizados no Sistema Único de Saúde.

Leia também: A SOLUÇÃO QUE VENCEU A IDEOLOGIA – O Brasil perdeu tempo discutindo se a hidroxicloroquina é ou não “de direita”. Enfim, vamos ao que interessa: o uso do remédio no tratamento da covid-19

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

4 comentários

  1. Ciência,por definição,é o confronto de hipóteses.Portanto,a OMS jamais deveria ter suspendido seus estudos,mesmo que o estudo da LANCET fosse favorável à cloroquina.

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site