Porto Alegre fecha comércio e impõe restrições de circulação

Só estabelecimentos considerados de serviços essenciais poderão funcionar na capital gaúcha a partir de terça-feira
-Publicidade-
Foto: REPRODUÇÃO/GAÚCHAWEB
Foto: REPRODUÇÃO/GAÚCHAWEB | porto alegre - restrições - covid-19

Só estabelecimentos considerados de serviços essenciais poderão funcionar na capital gaúcha a partir de terça-feira

porto alegre - restrições - covid-19
Foto: REPRODUÇÃO/GAÚCHAWEB

Enquanto outras cidades estão reabrindo setores da economia em ações de  superação ao vírus chinês, a capital gaúcha vai na contramão. Isso porque o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr. (PSDB), publicou decreto impondo novas regras de confinamento. A partir de terça-feira, 7, por exemplo, apenas o comércio considerado provedor de serviços essenciais poderá funcionar. Nesse sentido, há restrições até de circulação.

-Publicidade-

Leia mais: “Pré-candidato do PT à prefeitura de BH tem apelido na Odebrecht

Entre os estabelecimentos que serão fechados por 15 dias estão academias, barbearias e salões de beleza. O Mercado Público e o Mercado Bom Fim também ficarão sem abrir ao público pelo mesmo período de tempo. Poderão, contudo, funcionar no modelo de delivery. Demais mercados e hipermercados poderão funcionar, mas sem lotação máxima. Terão que controlar a entrada, permitindo apenas 50% da capacidade — e terão de recomendar que apenas um integrante da família vá às compras.

Parques e cultos

As restrições impostas também impactam os parques públicos de Porto Alegre, que estarão fechados a partir de amanhã. Dessa forma, o público só poderá voltar a circular nos parques Moacyr Scliar, Chico Mendes, Germânia, Gabriel Knijnik e Maurício Sirotsky Sobrinho a partir de 23 de julho. Para cultos e missas, a norma define que as atividades só poderão ocorrer de modo online.

“Infelizmente, as projeções de aumento da demanda por UTIs se concretizaram”

De acordo com o prefeito de Porto Alegre, as medidas rígidas se fazem necessárias como forma de combater à covid-19. “Se antes estávamos em um momento de alerta, agora é de perigo. Infelizmente, as projeções de aumento da demanda por UTIs se concretizaram e precisamos controlar a contaminação. Para isso, é necessário que as pessoas circulem menos e fiquem em casa”, disse Marchezan Jr.. “Nenhum lugar do mundo conseguiu frear o avanço da doença sem aplicar o isolamento social”, complementou o mandatário da capital gaúcha, conforme noticiado pelo site do Correio do Povo.

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.