-Publicidade-

Criticada, Merkel desiste de novo lockdown na Alemanha e pede desculpas

'O erro foi única e exclusivamente meu', disse a chanceler, acuada por críticas e protestos contra o confinamento nas últimas semanas
Criticada pela população alemã, Angela Merkel recuou de um novo <i>lockdown</i>
Criticada pela população alemã, Angela Merkel recuou de um novo lockdown | Foto: Divulgação/União Europeia

Acuada por críticas de grande parte da população e por uma série de manifestações que tomaram as ruas de várias cidades do país nas últimas semanas, a primeira-ministra da Alemanha, Angela Merkel, desistiu nesta quarta-feira, 24, de impor um novo lockdown, que havia sido marcado para o feriado de Páscoa.

Leia mais: “Alemanha, Reino Unido e outros países da Europa têm protestos contra restrições”

Como noticiamos na terça-feira 23, a chanceler alemã havia anunciado um novo confinamento, ainda mais rígido que os anteriores, para o período entre os dias 1º e 5 de abril. Ela chegou a falar em “uma nova pandemia”. “A mutação britânica do vírus se tornou dominante. Temos um novo vírus que é muito mais letal, muito mais infeccioso e contagioso por muito mais tempo”, disse, na ocasião.

Leia também: “Alemanha deve exigir quarentena e testes de covid-19 para todos que vierem do exterior”

Hoje, o discurso de Merkel foi totalmente diferente. A chanceler pediu desculpas à população e afirmou que o anúncio das medidas foi feito de forma precipitada, sem um planejamento adequado pelo governo, o que pegou os alemães de surpresa. “A ideia de uma paralisação na Páscoa foi traçada com a melhor das intenções, mas não foi possível implementar as medidas com tão pouco prazo”, justificou. “O erro foi única e exclusivamente meu.”

Segundo dados do governo alemão, o número de infecções por 100 mil habitantes chegou a 107 na segunda-feira 22, acima do limite de 100 estipulado pelo governo como alerta máximo. Na quinta-feira 18, o país contabilizou 28,4 mil novos casos — o maior número diário desde 20 de janeiro.

Leia também: “‘Loquidou’, a hipnose”, artigo de Guilherme Fiuza publicado na Edição 52 da Revista Oeste

* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias.
Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.
-Publicidade-
Exclusivo para assinantes.