Ômicron é confirmada em países de quatro continentes

Além da África, onde surgiu, nova cepa do coronavírus já foi registrada países da Europa, Oceania e Ásia
-Publicidade-
Nova variante do coronavírus causa preocupação na comunidade internacional
Nova variante do coronavírus causa preocupação na comunidade internacional | Foto: Reprodução/Redes Sociais

Detectada inicialmente na África do Sul, a variante Ômicron do coronavírus (B.1.1.529) já foi confirmada em países de quatro continentes até o momento — África, Europa, Ásia e Oceania.

Na Europa, o primeiro país a registrar a presença da Ômicron foi a Bélgica. No sábado 27, foi a vez de as autoridades sanitárias do Reino Unido, da Alemanha e da Itália confirmarem casos de infecção pela nova cepa.

A Holanda também anunciou neste domingo, 28, que 13 das 61 pessoas que chegaram ao país em dois voos vindos da África do Sul e testaram positivo para a covid-19 estavam infectadas pela Ômicron.

-Publicidade-

O governo da Áustria informou que também registra um caso suspeito de pessoa infectada pela variante sul-africana.

Na Ásia, a Ômicron foi confirmada em Hong Kong. No Oriente Médio, Israel também notificou um caso e se tornou o primeiro país a proibir a entrada de todos os estrangeiros para tentar conter a disseminação da nova cepa.

Até este momento, ainda não se sabe se a variante, que tem mais mutações e se mostrou mais transmissível do que as anteriores na África, é mais letal. Os cientistas ainda analisam essas características.

Segundo os primeiros estudos, ela tem mais de 30 mutações na proteína spike, que é a parte do vírus usada como referência pelas vacinas para estimular o sistema imunológico.

Segundo Roberto Zeballos, clínico geral e doutor em imunologia, são dois os fatores importantes que devem ser analisados em relação à nova variante: se a taxa de letalidade é maior que a de outras cepas e qual é o impacto nas reinfecções.

“O que precisamos saber é se ela mata mais e, o mais importante, qual é o impacto nas reinfecções. Se for como a cepa amazonense, o impacto é baixo”, afirmou Zeballos em entrevista à Jovem Pan na sexta-feira 26. “Se tiver um impacto maior nas reinfecções, pode ser um problema.”

Para Zeballos, “não é a primeira vez que a gente vê alarmismo”. “Aliás, o grande inimigo da pandemia, além do vírus, é o pânico”, completou.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a Ômicron foi classificada como uma “variante de preocupação” por ser potencialmente mais contagiosa do que as outras variantes. Os especialistas ainda não sabem dizer se a cepa provoca uma covid-19 mais severa.

Veja quais são os países com casos confirmados da Ômicron:

África

  • África do Sul: 77 casos
  • Botsuana: 4 casos

Ásia

  • Hong Kong: 1 caso (pessoa que viajou à África do Sul)
Europa
  • Alemanha: 2 casos registrados em Munique;
  • Bélgica: 1 caso (pessoa que viajou ao Egito);
  • Itália: 1 caso (pessoa que viajou a Moçambique);
  • Reino Unido: 2 casos (um em Chelmsford e outro em Nottingham);
  • Holanda: 13 casos (pessoas que viajaram para a África do Sul)
Oceania
  • Austrália: 2 casos (pessoas que viajaram ao sul do continente africano).
Oriente Médio
  • Israel: 1 caso (pessoa que viajou ao Malauí)
-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.