Pular para o conteúdo
publicidade
Google censura a revista Oeste | Foto: Montagem Revista Oeste
Edição 141

A ofensiva da censura

Depois das agências de checagem, do Facebook, da Wikipedia, do YouTube e de partidos políticos, agora é o Google que tenta censurar Oeste

Branca Nunes
-

Primeiro foram as agências de checagem. Em julho de 2020, com quatro meses de vida, Oeste foi alvo da Aos Fatos. A agência vinculada à Folha de S.Paulo tentou enxergar fake news numa reportagem sem erros sobre focos de incêndios e queimadas na Amazônia. Absurdos semelhantes se repetiriam nos meses seguintes com outras notas do site. Apesar do envio a essas empresas de sucessivos e-mails que provaram a veracidade dos textos, nenhuma delas se retratou espontaneamente.

Depois veio o Facebook, que mantém uma parceria com essas agências e muitas vezes se pauta por elas. Por mais de seis meses, uma tarja encobriu a foto de todas as reportagens “checadas” de Oeste que eram compartilhadas na plataforma. Um aviso alertava: “Informação falsa — Checada por verificadores de fatos independentes”.

Foto: Reprodução

Em seguida entrou em cena a Wikipedia. Sem explicar por quê, a “enciclopédia colaborativa” classificou Oeste como “fonte não confiável”. Ou seja, ninguém poderia usar a revista como base para acrescentar informações aos verbetes do site. “Foi uma decisão coletiva, não há um motivo concreto”, desconversou Rodrigo Padula, um dos 11 usuários autodenominados “editores” da Wikipedia. “Não é possível contestar. Isso não será mais colocado em pauta agora. O melhor que vocês fazem é esquecer essa história.”

Semanas atrás, o YouTube proibiu o canal de Oeste de publicar novos vídeos por sete dias. Motivo: um filme com imagens de manifestações do Black Lives Matter que entrara no ar em julho de 2020, 870 dias antes da censura. As imagens, consideradas “violentas” pela plataforma, continuam circulando livremente em outros canais da rede. Na mesma semana, o Partido dos Trabalhadores pediu ao Tribunal Superior Eleitoral que o site de Oeste fosse retirado do ar por fazer parte de um suposto “ecossistema de desinformação”. Mais uma vez, nenhuma justificativa foi apresentada.

YouTube video

YouTube video

O capitulo mais recente dessa a trama kafkiana talvez seja também o mais sórdido deles. O Google, gigante de tecnologia do qual todos os veículos de comunicação do mundo livre dependem para aumentar a distribuição de conteúdo, suspendeu a publicação de propaganda programática (os anúncios de outras empresas distribuídos pelo Google) em Oeste. A plataforma também tem deixado de priorizar as reportagens publicadas por Oeste, escondendo os textos em seu site de buscas. Justificativa da rede: “Violações da política”. Que política é essa, ninguém sabe.

O caso da coluna de J.R., Guzzo é o mais grave, porque inclui não apenas os textos já publicados, mas também os que serão. Uma clara censura prévia

Para amparar a decisão, o Google usou três links de Oeste: 1) uma reportagem sobre os dados de Alexandre de Moraes vazados em grupos de WhatsApp; 2) uma denúncia da rede de TV norte-americana Fox News afirmando que a CIA havia interferido nas eleições brasileiras; 3) a coluna com todos os textos do jornalista J.R Guzzo. O Google não detalha, contudo, o que está errado em qualquer dessas reportagens.

Os alvos da censura

Publicada no site de Oeste em 18 de novembro deste ano, a notícia sobre o vazamento dos dados de Moraes reproduziu ipsis litteris um texto do jornal Folha de S.Paulo. O tema também foi republicado pela TV Cultura e pelo portal Yahoo — que permanecem com sua propaganda programática intocada. Procurada pela Folha antes da divulgação do texto, a assessoria do STF informou que não se pronunciaria sobre o caso. De lá para cá, a Corte não desmentiu a notícia, como faz sempre com informações supostamente falsas sobre seus integrantes.

Print de tela do site Yahoo! Notícias | Foto: Reprodução
Print de tela do site da TV Cultura | Foto: Reprodução

A reportagem sobre a interferência da CIA na disputa presidencial brasileira ampara-se numa denúncia do jornalista Tucker Carlson. O âncora da Fox acusou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de pressionar Jair Bolsonaro a reconhecer o resultado do pleito. “O mesmo governo que está constantemente tagarelando sobre a santidade da democracia e das eleições livres e justas, na verdade, está interferindo nas eleições de outros países”, afirmou o jornalista, durante o programa Tucker Carlson Tonight. “No caso do Brasil, isso acontece há mais de um ano.” O texto publicado por Oeste limita-se a mencionar argumentos e provas coletados pela Fox. As informações permanecem disponíveis ao público na emissora de televisão.

O caso da coluna de J.R, Guzzo é especialmente grave porque inclui não apenas os textos já escritos pelo jornalista, mas também os que serão. É uma clamorosa censura prévia. É como se todas as músicas escritas ou imaginadas por um compositor fossem censuradas. Tal violência impede um profissional de exercer a profissão. No Brasil, só aconteceu algo parecido pouco depois da decretação do Ato Institucional número 5, quando o regime militar imobilizou intelectualmente o escritor e jornalista Antônio Callado. Jornais que publicavam algum artigo do alvo da perseguição eram advertidos por autoridades militares: se a colaboração continuasse, haveria retaliações.

O jornalista Antônio Callado | Foto: Reprodução Redes Sociais

“O Google diz que a revista fere a sua coleção de princípios”, diz Guzzo, na coluna desta semana. “Quais os princípios, objetivamente, que foram feridos? O Google não informa. (…) Pelo que deu para entender, o Google não quer que o autor escreva na Revista Oeste; aparentemente, permite que os seus artigos continuem a ser publicados no Estado de S. Paulo e na Gazeta do Povo, onde é colunista fixo e regular, pois, tanto quanto se saiba até o momento, não suspendeu a sua publicidade em nenhum destes dois veículos.”

A veiculação de propaganda programática também não foi suspensa no portal IG, que publicou uma reportagem falsa sob o título “Jair e Michele [sic] Bolsonaro almoçaram com Guilherme de Pádua, o assassino de Daniela Pérez”. Textos nessa mesma linha continuam expostos nos sites da revista IstoÉ, do Diário do Centro do Mundo, dos Jornalistas Livres, entre outros.

Nada aconteceu com a Folha quando a colunista social Mônica Bergamo impulsionou o texto mentiroso: “Mulher de Guilherme de Pádua, assassino de Glória Perez [sic] e hoje pastor, diz que Michelle não sabia quem ela era ao tirarem uma foto”. A Folha também publicou impunemente um texto que poderia resumir-se ao título “Por que torço para que Bolsonaro morra”.

Foto: Reprodução/Folha de S.Paulo

“O que estamos presenciando é a terceirização da censura pelo Supremo Tribunal Federal e pelo Tribunal Superior Eleitoral”, observou o jurista Ivan Sartori, ex-presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo. “Vivemos hoje no Brasil uma censura generalizada, e as mídias sociais fazem parte desse sistema. Páginas de pessoas nessas redes são escondidas ou eliminadas, seus meios de sobrevivência desmonetizados, contas em sites caçadas. E o Senado simplesmente se omite.”

Para Sartori, estão sendo desrespeitados o artigo 220 da Constituição (segundo o qual “a manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição”) e o artigo 5º, inciso IX (é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença).

O jurista Ives Gandra Martins não encontra explicações para a censura imposta a Oeste. “A Constituição impede qualquer forma de censura à comunicação”, diz. “Guzzo publica artigos todos os domingos no Estado de S. Paulo, que hoje é um dos jornais mais críticos ao governo federal, e escreve no mesmo tom que o faz na Revista Oeste. Então me parece que há uma violação da Constituição, porque o Estadão não sofreu nenhuma represália. Não se deve argumentar que o Google pode escolher seus clientes, por ser uma ferramenta universal, que permite que todos apareçam, e impor restrição de liberdade de comunicação apenas a esta revista. Espero que o Google reformule sua posição ou então caberá o caminho judicial.”

YouTube video

Oeste foi o primeiro veículo de comunicação brasileiro a processar e ganhar na Justiça ações que moveu contra agências de checagem. O caminho judicial tem sido o único capaz de revogar injustiças evidentes. Desde julho de 2020, quando a censura pousou pela primeira vez nas páginas de Oeste, o cerco vem se fechando. A revista jamais se rendeu. Não será diferente agora.

Leia também “A imprensa faz o papel de Ministério da Verdade”

27 comentários
  1. Fábio Bortolo
    Fábio Bortolo

    Parabéns jornalistas guerreiros que são, vocês são o que existe de mais coerente contra esse câncer chamado esquerda

  2. Otavio Lazario de Queiroz
    Otavio Lazario de Queiroz

    Meu Deus….Meu Deus…isso é sensura demais. Estamos rumando ao Autoritarismo patrocinado pelo TSE/STF

  3. Gustavo G. Junior
    Gustavo G. Junior

    Querem calar pela força bruta ; querem falir eventuais dissidentes. Não faltaremos a voces ! FORÇA !

  4. Claudiney
    Claudiney

    FORÇA OESTE

  5. Claudiney
    Claudiney

    BRAÇO FORTE , MAO AMIGA,,,VENHA LOGOOOOOOOOOOOOOOO

  6. Marcelo Paganotti Cunha
    Marcelo Paganotti Cunha

    Obrigado pelo belíssimo trabalho que realizam.

  7. Luiz Gomes Jardim
    Luiz Gomes Jardim

    Vamos para cima!

  8. Gilson Herz
    Gilson Herz

    A vitória tarda mas não falha. Os canalhas serão derrubados custe o que custar.

  9. Evelise Cristina Balhesteros Bergamo
    Evelise Cristina Balhesteros Bergamo

    Lamentável, triste e preocupantes os “tentáculos” dos donos do mundo, que querem escravizar a todos , e tudo se começa pela guerra da informação. Quanto mais desinformado, ignorante, alheio, “dentro da caixinha” você for, melhor manipulado você será pelos “globalistas’. Mas depende de nós não nos deixar entrar nesta matrix.

  10. Teresa Guzzo
    Teresa Guzzo

    A liberdade de expressão no Brasil tornou-se crime hediondo,se falar o que está ocorrendo de fato virou “pecado mortal”.A folha de São Paulo e o Estado de São Paulo sempre fizeram suas críticas ao atual governo e nunca sofreram censura.Existem pesos diferentes para pensamentos divergentes?A revista Oeste terá o apoio de seus assinantes,falar a verdade nunca foi crime,com exceção de ditaduras.Vamos resistir sempre, parabéns aos corajosos jornalistas.

  11. Francisco helilton Moreira de souza
    Francisco helilton Moreira de souza

    A revista oeste não vai desaparecer. Os capachos da esquerda não vão transformar nossa fonte de informação em objeto de censura

  12. Rafael Souza
    Rafael Souza

    Se a Oeste não fosse censurada por essa turma eu cancelaria agora a assinatura. A censura é motivo de orgulho para a revista e para nós, leitores. Se desmontizarem, aumentem a mensalidade que nós pagamos. Se não permitirem que as matérias sejam encontradas nas buscas, publiquem no Twitter que nós esparramamos pelos quatro cantos. Eles não vão vencer, somos a maioria. E a verdade tende a prevalecer. Essa turma do lado de lá nos une, inspira e motiva. Eles que continuem fazendo o que fazem melhor e nós faremos melhor o que já estamos fazendo. Eles serão colocados no lixo da história e seremos nós a empunhar a vassoura.

  13. Silvio T Correa
    Silvio T Correa

    Certamente é um grande orgulho para seu pai.
    Parabéns pelo texto!

  14. E. Joseph Info
    E. Joseph Info

    Ei revista Oeste!!
    Eu estou aqui!!

  15. FABIO LUIS ZAGATTO TIBURCIO
    FABIO LUIS ZAGATTO TIBURCIO

    Oro e torço pela liberdade que ainda existe aqui na Oeste.
    Inclusive de manifestação dos assinantes divergentes.

  16. Luiz Wargha
    Luiz Wargha

    estou com vcs!!

  17. Glaydson de Oliveira Godinho
    Glaydson de Oliveira Godinho

    Revista Oeste nem pense em desistir, estamos juntos, só não consigo esquecer de João Batista Figueiredo quando disse o quanto seria difícil acabar com esta corja.

  18. Giovani Santos Quintana
    Giovani Santos Quintana

    Revista Oeste, estamos aqui!!!!!

  19. MB
    MB

    NÃO SE RENDAM MESMO! POR GUZZO E POR TODOS NÓS QUE TEMOS EM OESTE UM PORTO SEGURO DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO, INFORMAÇÃO, REFLEXÃO E PRAZER DA LEITURA! ESTAMOS AQUI.????????????

    1. MB
      MB

      ….ESTAMOS AQUI !

  20. Júlio César Carestiato
    Júlio César Carestiato

    A tirania usa e abusa da democracia destorcendo os fatos a seu favor rotulados de atos antidemocráticos com o apoio das empresas de comunicação tradicionais que vendem seus interesses a um povo despreparado. Em assim sendo essa tirania não pode ser combatida com democracia

  21. Renata Thomaz
    Renata Thomaz

    A única forma de dar um “tombo” nessa gente é boicotando estas plataformas… Diminui bastante assistir aos conteúdos do YouTube. Ainda não larguei, por causa do “Oeste” com Augusto, Guilherme e Ana Paula. E o canal do Constantino que assisto Domingo à noite, apesar dele fazer Live na sexta-feira. Se eles tivessem em uma outra plataforma, com certeza eu os à acompanharia. Única forma de acabar com eles.

    1. Rosely de Vasconcellos Meissner
      Rosely de Vasconcellos Meissner

      Navegador fica muito lento para acessar os artigos da revista e mostrar as mãozinhas de gostei ou não e a opção dos comentários. Será a minha internet que está lenta ou faz parte da censura?

  22. NEY WILDE NEPOMUCENO COSTA
    NEY WILDE NEPOMUCENO COSTA

    Com Oeste, sempre. Semanalmente compartilho os dois textos que são permitidos e recomendo a assinatura da revista a todas as pessoas com quem convivo. Não podemos nos omitir quando uma das raras fontes independentes de informação são reprimidas dessa forma. Parabéns a todos os que fazem essa revista. Meu respeito e solidariedade.

  23. Marcial Ferreira da Silva
    Marcial Ferreira da Silva

    Somente agora estou lendo o livro 1984, de George Orwell, e fico impressionado de como o autor foi um visionário quando escreveu a obra há mais de 70 anos. O que se passa ali é o retrato do que está acontecendo hoje no Brasil. A manipulação de fatos presentes e passados, a censura, a busca pela uniformização do pensamento, A mediocridade das pessoas que compõem o “partido” (sempre que o livro menciona o partido não tem como deixar de pensar no PT). É assustador. Às vezes penso até em abandonar a leitura do livro, pois é deprimente para os brasileiros dos dias atuais, exceto provavelmente para os que fazem parte do “partido” e seu entorno.

  24. maisvalia
    maisvalia

    Processinho já

  25. Cláudio
    Cláudio

    Branca, lendo seu artigo, eu me remeti a edições antigas da revista Veja, quando lia matérias sobre regimes ditatoriais espalhados pelo mundo. Pensar que agora isto está ocorrendo no Brasil é assustador.

  26. Paulo Eduardo Magalhães
    Paulo Eduardo Magalhães

    Força Oeste! Estamos com vocês

Anterior:
Imagem da Semana: Jornadas de Junho
Próximo:
Carta ao Leitor — Edição 221
Newsletter

Seja o primeiro a saber sobre notícias, acontecimentos e eventos semanais no seu e-mail.