Governo fará campanha de conscientização sobre vacina

Medida é considerada alternativa à obrigatoriedade de se imunizar contra o coronavírus
-Publicidade-
Foto: Fundação Gates/Flickr
Foto: Fundação Gates/Flickr | Foto: Fundação Gates/Flickr

Medida é considerada alternativa à obrigatoriedade de se imunizar contra o coronavírus

governo fará campanha de
Empresas farmacêuticas anunciaram a eficácia de seus imunizantes experimentais | Foto: Fundação Gates/Flickr
-Publicidade-

O Ministério da Saúde lançará em dezembro uma campanha de conscientização sobre vacinas contra a covid-19. O objetivo é tranquilizar os brasileiros. A medida é vista como alternativa à obrigatoriedade da imunização. De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, a pasta quer informar sobre o processo de produção e aprovação das vacinas. Ele ressalta que a campanha de dezembro será apenas a primeira etapa. A segunda ocorrerá assim que houver a definição do total de doses, datas de oferta e população a ser vacinada.

Leia também: “Covid-19: Obrigatoriedade ou não da vacina? Entenda”

“Esse ministério tem um compromisso sério com a população brasileira de só vacinarmos quando tivermos certeza de que estamos diante de uma vacina registrada com garantia de eficácia”, afirmou o secretário, em entrevista coletiva, na quinta-feira 19. Várias empresas farmacêuticas anunciaram a eficácia de seus imunizantes experimentais: Pfizer, Oxford/AstraZeneca e Moderna. Além disso, o primeiro lote de 120 mil doses da CoronaVac (conhecida na internet como “vachina”) chegou ontem ao Brasil, conforme noticiou Oeste.

Precisamos esperar por um imunizante? Saiba mais sobre o tema neste link

Telegram
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais à equipe da publicação, a outro usuário ou a qualquer grupo ou indivíduo identificado. Caso isso ocorra, nos reservamos o direito de apagar o comentário para manter um ambiente respeitoso para a discussão.

3 comments

  1. Para que a Anvisa não tenha que novamente ir ao Senado se explicar porque aprovou a vacina A antes da B, C, ou D, se todas estão na mesma fase de testes, entendo que o melhor procedimento para tranquilizar a população, será a ANVISA pedir o aval da OMS para também assumir a responsabilidade de aprovação conjunta após analisar os testes e aprovar simultaneamente todas.
    Afinal, a OMS não tem a responsabilidade final, pós aprovações dos órgãos nacionais competentes?
    Já que todos estão preocupados com a saúde da população e observando a CIÊNCIA, porque essa ansiedade em sair na frente? Isto não vai criar grandes aglomerações, sem sequer termos a logística adequada para a vacinação em todo o pais? Creio que não faltará parlamentar para criar uma CPI mista da VACINAÇÃO.
    Mais ainda, o Instituto Butantã só quer produzir a vacina Coronavac? Não poderá fazer acordo e produzir a da PFIZER para evitar transportes em baixa refrigeração, ou qualquer outra que a OMS e a ANVISA aprovarem?

  2. Nada contra vacinas, eu mesmo tomei todas a que tinha direito quando criança, me lembro até hoje da fisionomia e do nome do farmacêutico e associo sua imagem à injeção que fatalmente seria aplicada, deve ser por isso que não o esqueço jamais, trauma de infância. Mas eram vacinas testadas e confiáveis e não existiam essa corja de políticos canalhas que tem hoje e que estão pouco se lixando para a população deste país. Portanto vacine quem quiser, vou continuar aguardando o prazo regulamentar para depois me submeter ao processo. Já ouvi alguém dizer que um bolo não se assa com menos de 45 minutos de forno e se deixar mais do que isso o bolo queima e menos, o bolo não fica prestando. Entenderam ou é preciso desenhar?

Envie um comentário

-Publicidade-
Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Payment methods
Security site
Gostou da Leitura?

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 19,90 mensais.

Payment methods
Security site