Placar dos governadores: veja quem apoia Bolsonaro e Lula no 2º turno

Até agora, oito governadores eleitos no primeiro turno formalizaram apoio à reeleição do presidente e cinco, ao candidato petista
-Publicidade-
Nos 12 Estados onde haverá segundo turno, Lula e Bolsonaro têm palanque certo em sete Estados
Nos 12 Estados onde haverá segundo turno, Lula e Bolsonaro têm palanque certo em sete Estados | Foto: Agência Brasil

Dois governadores reeleitos no domingo 2 formalizaram nesta quarta-feira, 5, apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL): Ibaneis Rocha (MDB), do Distrito Federal, e Ratinho Jr. (PSD), do Paraná. O apoio deles já era esperado, considerando que o partido de Bolsonaro integrava as coligações que os elegeram e que eram próximos do presidente desde o primeiro mandato.

Na terça-feira 4, Cláudio Castro (PL) e Romeu Zema (Novo), governadores reeleitos do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, respectivamente, já haviam anunciado o apoio formal à reeleição do presidente.

Esses quatro governadores se juntam aos apoios dos governadores eleitos do Acre, Gladson Cameli (PP); do Tocantins, Wanderlei Barbosa (Republicanos); de Roraima, Antônio Denarium (PP). Além disso, dos governadores reeleitos Ronaldo Caiado (União Brasil) e Mauro Mendes (União Brasil). De Goiás e Mato Grosso, respectivamente.

-Publicidade-

O governador eleito do Amapá Clécio (SD), cujo partido estava coligado ao PL e a outras legendas, ainda não se pronunciou.

Lula obteve apoio de cinco dos 15 governadores eleitos no primeiro turno, sendo os petistas Elmano de Freitas, eleito no Ceará; Rafael Fonteles, no Piauí; e Fátima Bezerra, reeleita no Rio Grande do Norte. Além deles, terá o apoio do governador reeleito do Maranhão, Carlos Brandão (PSB). Nesta quarta-feira, 5, o governador reeleito do Pará, Helder Barbalho (MDB), declarou à imprensa que irá apoiar Lula.

Palanques no segundo turno

Nos 12 Estados onde haverá segundo turno, Lula e Bolsonaro têm palanque certo em sete Estados.

São Paulo: Bolsonaro tem Tarcísio de Freitas (Republicanos); Lula tem Fernando Haddad (PT).

Rio Grande do Sul: Bolsonaro tem Onyx Lorenzoni (PL); Lula busca aproximação com Eduardo Leite (PSDB).

Espírito Santo: Bolsonaro tem Carlos Manato (PL); Lula tem Renato Casagrande (PSB).

Alagoas: Bolsonaro tem Rodrigo Cunha (União Brasil); Lula tem Paulo Dantas (MDB).

Amazonas: Bolsonaro tem Wilson Lima (PL); Lula tem Eduardo Braga (MDB).

Bahia: Jair Bolsonaro busca aproximação com ACM Neto (União Brasil); Lula tem Jerônimo (PT).

Mato Grosso do Sul: Bolsonaro tem Capitão Contar (PRTB); Lula chegou a cogitar negociação com Eduardo Riedel (PSDB), mas está sem palanque.

Paraíba: João Azevedo (PSB) ainda não anunciou oficialmente o apoio a Lula, mas seu partido é da coligação que apoia o petista. Pedro Cunha Lima (PSDB) não tomou partido; no primeiro turno, apoiava Simone Tebet (MDB).

Pernambuco: Bolsonaro perdeu Anderson Ferreira (PL); e Lula, Danilo Cabral (PSB); a disputa ficou entre Raquel Lyra (PSDB) e Marília Arraes (Solidariedade). Lula tem Arraes, ex-petista que apoia o ex-presidente desde o primeiro turno, e o palanque de Bolsonaro está indefinido.

Sergipe: Lula tem Rogério Carvalho (PT); Jair Bolsonaro ficou sem palanque.

Santa Catarina: Jair Bolsonaro tem Jorginho Mello (PL); Lula tem Décio Lima (PT)

Rondônia: Jair Bolsonaro tem Marcos Rogério (PL), formalmente, e conta também com o apoio de Marcos Rocha (União Brasil); Lula ficou sem palanque.

Nota atualizada em 6 de outubro de 2022, às 13h39

-Publicidade-
* O espaço para comentários é destinado ao debate saudável de ideias. Não serão aceitas postagens com expressões inapropriadas ou agressões pessoais.

Envie um comentário

Conteúdo exclusivo para assinantes.

Seja nosso assinante!
Tenha acesso ilimitado a todo conteúdo por apenas R$ 23,90 mensais.

Revista OESTE, a primeira plataforma de conteúdo cem por cento
comprometida com a defesa do capitalismo e do livre mercado.

Meios de pagamento
Site seguro
Seja nosso assinante!

Reportagens e artigos exclusivos produzidos pela melhor equipe de jornalistas do Brasil.